Aula Aberta – A institucionalização no feminino – que repercussões para a reintegração

A institucionalização no feminino – que repercussões para a reintegração, com Cristina Ferra, decorreu a 20 de Abril


Texto: Organização do Evento e DCA
Fotografia e Vídeo: DCA

O Instituto Superior Miguel Torga recebeu, no dia 20 de abril, a mestre Cristina Ferra para uma Aula Aberta sobre “A institucionalização no feminino – que repercussões para a reintegração”.

O Seminário teve como objetivo apresentar a investigação desenvolvida no âmbito da dissertação de mestrado em Serviço Social sobre a Institucionalização no feminino. Que repercussões para a reintegração social?, publicada em livro em 2016. Neste trabalho fez-se a análise das trajetórias de vida das jovens que viveram em acolhimento residencial e que se encontram a viver em autonomia; da maneira como pensavam sobre a sua vida em internato e da perspetiva/expectativa que tinham relativamente aos seus filhos.

Cristina Ferra é Mestre em Serviço Social pelo ISMT e licenciada em Serviço Social pelo ISBB. É Técnica Superior no Centro Distrital de Castelo Branco desde 1997. Exerceu funções no âmbito da Ação Social, R.S.I. e Cooperação. Foi presidente da CPCJ de Idanha-a-Nova e Interlocutora do Programa Proteção Internacional. Atualmente encontra-se afeta ao Núcleo de Infância e Juventude. Autora do livro – A Institucionalização no Feminino – que repercussões na Reintegração (dissertação de mestrado). É assistente convidada no IPCB- Escola Superior de Educação de Castelo Branco.

A sessão foi organizada pela Docente do ISMT Maria Rosa Tomé no âmbito do NEI: Questão Social, Políticas Sociais e Serviço Social do Mestrado em Serviço Social.

Veja algumas fotografias do evento

{gallery}2017_2018/20180420_3_eventos/20180420_AA_Mes_SS_CristinaFerra{/gallery}

Testemunho de Cristina Ferra:

{youtube}Xf6viz3G6lY{/youtube}

Partilhe em:
X