O setting terapêutico como espaço de jogo: contributos a partir Winnicott

 20160418-O setting_teraputico_como_espao_de_jogo_foto

O Instituto Superior Miguel Torga promoveu no passado dia 18 de Abril, uma sessão teórico-clínica sobre "O setting terapêutico como espaço de jogo: contributos a partir Winnicott".

Texto: Joana Costa e Sara Silva
Fotografia: André Gouveia, Luis Fradilha
Vídeo: DCA

Esta sessão contou com dois convidados internacionais a Professora Doutora Elsa Dias e o Professor Doutor Zeljko Loparic ambos fundadores e presidentes da Sociedade Brasileira de Psicanálise Winnicottiana (SBPW) da International Winnicott Association (IWA).

Os convidados abordaram o setting terapêutico com o objetivo do setting como o que institui um determinado tratamento, já que define as condições físicas e formais que contextualizam o processo terapêutico. No caso do tratamento psicanalítico o setting constitui ainda o "cenário" privilegiado da circulação empática de experiências emocionais, sentimentos e fantasias conscientes e inconscientes entre paciente e psicoterapeuta. Significantes psíquicos que o último está em condições de ir significando à medida que promove o insight do primeiro sobre a actualização mnésica do passado no presente da sessão terapêutica.

Este vaivém diacrónico entre o "aqui e agora" e o "lá e então" é proposto como espaço potencial de jogo e de ilusão por Donald Winnicott, destacado psicanalista britânico e pensador maior da prática da psicanálise que, sobretudo entre as décadas de 50 e 70 do século passado, revolucionou o setting terapêutico ao atribuir-lhe o carácter de um "holding environment" primordial, em que os fenómenos transicionais abrem o caminho à interiorização estável do objecto de relação e à progressiva descoberta do Self verdadeiro do paciente.

Winnicott estabeleceu e praticou duas principais modalidades da clínica: a cura pela verbalização - que é uma versão modificada da cura pela palavra (talking cure), ou seja, da análise-padrão preconizada pela psicanálise freudiana para o tratamento das neuroses de transferência - e a cura pelo cuidado (care-cure), nome dado por Winnicott à "sua clínica", que reduz ao mínimo (ou mesmo evita por completo) a verbalização e consiste em diferentes maneiras de proceder ao manejo dos casos de interrupção do processo de amadurecimento resultante de falhas ambientais. Para o exercício de cada uma dessas modalidades de terapia, Winnicott especificou settings apropriados, constituídos segundo o modelo do ambiente suficientemente bom (que se "comporta bem"). O setting próprio para o manejo inclui o espaço constituído pela superposição de duas áreas do brincar - a do paciente e a do analista -, no qual o paciente pode relaxar (alcançar o modo de ser não mais proposital) e recomeçar (ou mesmo iniciar pela primeira vez), desse lugar de repouso, a busca criativa de si mesmo, do mundo e das coisas.

A organização desta sessão esteve a cargo do Corpo docente da especialidade em Psicoterapia Psicodinâmica do curso do 2º ciclo em Psicologia Clínica do Instituto Superior Miguel Torga, em associação com a coordenação científica do mesmo curso, do Núcleo João dos Santos/Serviço de Psicoterapia Psicodinâmica do ISMT, da Sociedade Brasileira de Psicanálise Winnicottiana e da Psycoclínica.

Veja algumas fotografias da sessão:

Veja o vídeo:

Autenticação